Política

‘O superfaturamento corre solto’, diz Serafim Corrêa

O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) declarou, em sessão virtual da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) realizada nesta terça-feira, 7, que a má gestão é a “marca” do governo de Wilson Lima (PSC) e que “o superfaturamento está correndo solto”.

A declaração do parlamentar ocorreu depois de apresentar dados que mostram crescimento de 9,32% na arrecadação do Amazonas no período de janeiro a junho deste ano em comparação ao mesmo período de 2019. No total, são R$ 818.940646,38, que pode chegar a R$ 1 bilhão, de acordo com ele.

Memória

Em 2019, por exemplo, a arrecadação do primeiro semestre chegou a R$ 9.601.295.395,37. Já no primeiro semestre deste ano a arrecadação foi de R$ 8.782.354.748,99. Os dados são da própria Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz).

“Nosso problema está na despesa. Pela CPI (da Saúde), estamos vendo ralos por todos os lados. Todos os dias vemos coisas absurdas. Não estamos querendo derrubar o governo, mas ajudar o governo. Fico perplexo e vejo a necessidade de cair o queixo do governador, porque o superfaturamento corre solto”, afirmou.

Comparação arrecadação do Amazonas no primeiro semestre de 2019 e 2020 (crédito: assessoria do deputado Serafim Corrêa)

Processos indenizatórios

O parlamentar voltou a chamar atenção aos processos indenizatórios como um dos principais mecanismos de corrupção e pelo qual o erário público é prejudicado. “A evidência de não prestação de serviço e apresentação da conta para ser conta pelo processo indenizatório é absurda”, ressaltou.

Os processos indenizatórios chamaram atenção da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde porque foram usados no hospital de campanha da Nilton Lins e não houve, nem por parte da empresa contratada sem licitação quanto por parte da própria Secretaria de Estado da Saúde (Susam), qualquer comprovação do serviço de lavanderia efetivamente realizado.

“A má gestão tem sido a marca governo. Na área de arrecadação, nota dez pra Sefaz”, afirmou o parlamentar, que é um dos membros da Comissão que investiga os gastos na Saúde durante o período da pandemia do novo Coronavírus.

Postagens relacionadas

MPF processa ex-ministro Pazuello e secretário de Saúde do AM por responsabilidade na crise de oxigênio no estado

Danilo Andrade

Mandetta diz que ordem para aumentar produção de cloroquina não foi do MS

O Amazones

Governador do Amazonas não assina carta de contestação contra Bolsonaro, que diz ter repassado R$18,5 bi ao Amazonas

O Amazones
error: Content is protected !!