Política

Base política de Wilson Lima e David Almeida se calam com crítica de Bolsonaro

Membros da bancada governista silenciaram diante da acusação do presidente da república Jair Bolsonaro (sem partido) de que a crise na saúde, no Amazonas, foi culpa do prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), e do governador, Wilson Lima (PSC). O presidente afirmou que o governo federal não virou as costas para o Estado e que o problema foi a má gestão municipal e estadual.

Em um vídeo divulgado pelo deputado federal Delegado Pablo (PSL), Bolsonaro disse que o governo federal está sensível à causa dos amazonenses e que, em nenhum momento, deixou de despender recursos para o Estado. A postagem foi feita na última quarta-feira, dia 27.

“Os problemas aí, em grande parte, são gestão estadual e municipal, mas, de qualquer maneira, continuaremos atendendo o que for possível. O coração do Brasil é o Amazonas”, disse o presidente no vídeo.

Boca fechada

Após a crítica de Jair Bolsonaro e diante do caos da saúde no Estado, nem mesmo os deputados estaduais da base do governo defenderam Wilson Lima das acusações do presidente.

A reportagem do Toda Hora tentou ouvir a líder do governo, Joana D’arc (PL), sobre o assunto, mas não obteve resposta. Segundo a assessoria da parlamentar, a deputada está afastada dos trabalhos legislativos por recomendação médica. Joana está na reta final da gravidez.

No entanto, a parlamentar está ativa nas redes sociais, com postagens diárias. Na manhã de hoje, ela publicou informativo sobre o lançamento do auxílio emergencial concedido a 100 mil famílias, no valor de R$ 200, por três meses.

Outro parlamentar que sempre defende o governo e que, desta vez, se esquivou foi o decano Belarmino Lins (PP). A assessoria do deputado informou que o mesmo não responderia à demanda porque estava com problemas de comunicação. Segundo o assessor, Belão está em isolamento, em um sítio do outro lado do Rio Negro se recuperando da Covid-19 contraída há um mês.

Porém, o deputado esteve presente em boa parte da sessão ordinária desta quinta-feira, 28/01, da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam). O parlamentar, inclusive, foi favorável ao Projeto de Lei (PL) do sobrinho Fausto Júnior (MDB) que foi aprovado e dispõe sobre a suspensão do cumprimento de mandados de reintegração de posse e imissão na posse, despejos e remoções judiciais e extrajudiciais enquanto durar a pandemia da Covid-19.

Sem retorno

Já os deputados Dr. Gomes (PSC) e a vice-presidente da Aleam, Alessandra Campelo, não responderam às acusações do presidente Jair Bolsonaro.

Município

O presidente da República também criticou o prefeito David Almeida que assumiu há 28 dias a gestão municipal. Sobre as acusações do executivo nacional, o líder da prefeitura na Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Marcelo Serafim (PSB), disse que o momento não é de achar culpados; a prioridade é salvar vidas.

“No lugar de buscarmos culpados temos que nos preocupar, por exemplo, com o abastecimento de oxigênio em nosso país, pois, quando essa variante começar a circular de forma mais intensa, o que estamos passando hoje em Manaus, irá se espalhar por todo o país. Se não tivermos ações coordenadas e vacinas suficientes para todos viveremos uma tragédia ainda maior”, alertou Marcelo Serafim.

Para o vereador, o caos na saúde do Amazonas acontece por uma conjunção de fatores, entre eles, a falta de vacina e de uma gestão coordenada, além do aparecimento de uma cepa nova que ainda irá circular no restante do país.

O Toda Hora tentou contato com o presidente da CMM, David Reis (Avante) e com a assessoria do vereador, mas não conseguiu nenhum retorno.

Fonte: TodaHora.com

Postagens relacionadas

Em meio à Covid-19, Governo do AM renova contrato de quase R$ 6 mi com divulgação

Natasha Azevedo

‘Pai tá on’: Amazonino segue na liderança da disputa pela prefeitura de Manaus

Danilo Andrade

Resultado parcial: Amazonino Mendes recebe o maior número de votos

Danilo Andrade
error: Content is protected !!