Amazonas

Governo do AM diz que novas doses de vacina contra Covid-19 devem chegar no dia 22 de fevereiro

O governador do Amazonas, Wilson Lima, disse que o estado deve receber novas doses de vacina contra a Covid-19 no dia 22 de fevereiro. Com isso, o governo vai fazer uma força-tarefa para vacinar pessoas acima de 50 anos, logo após o recebimento do lote. A declaração foi dada na noite dessa sexta-feira (12), logo após uma reunião com o ministro Eduardo Pazuello, que está em Manaus.

O Amazonas vive um novo colapso no sistema de saúde, após o aumento no número de casos, internações e óbitos em decorrência da Covid-19. Até a sexta (12), 292.494 pessoas já haviam sido infectadas pela doença e quase 10 mil pessoas morreram. O estado também passou por uma crise de oxigênio, mas em um pronunciamento do Governador, na manhã deste sábado (13) reclassificou a pandemia para a fase vermelha. Os serviços não-essenciais seguem fechados e um toque de recolher noturno está em vigor até o dia 21 de fevereiro.

Em um post nas redes sociais, o governador disse que a ação vai fazer parte do Plano de Aceleração da Vacinação na Amazônia que, inclusive, vai começar pelo estado.

Segundo o ministro Eduardo Pazuello, a mobilização do trabalho de vacinação será coordenada pela Prefeitura de Manaus e dos municípios, com o apoio do Governo e de órgãos de saúde, da segurança e defesa civil, entre outros.

“Já estamos tratando com o ministro da Defesa e nós vamos trabalhar para que possamos reunir todas as equipes para capacitar e distribuir a missão por área, para que a prefeitura mantenha os postos fixos de vacinação e postos móveis, alcançando a todos. A estratégia é atingir as partes mais distantes de Manaus, aí entra a coordenação logística do comando e controle”, explicou.

Desde o dia 18 de janeiro, o Amazonas já recebeu mais de 555 mil doses de imunizantes contra o coronavírus. Na primeira leva foram 282.320 mil doses da CoronaVac, usadas para imunizar os profissionais da área da saúde. Já no dia 23, foram 132.500 mil unidades da vacina da Astrazeneca/Oxford, que estão sendo aplicada nos idosos. No dia 25, foram mais 44.600 mil doses da CoronaVac e no dia 2 de fevereiro, mais 96,2 mil vacinas.

Segundo dados parciais do Programa Nacional de Imunização da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (PNI/FVS-AM), 193.589 doses de imunizantes já foram aplicadas em todo o estado até a sexta-feira (12), sendo 188.698 de primeira dose e 4.891 de segunda dose. Em Manaus, segundo a Prefeitura, mais de 108 mil vacinas já foram aplicadas, sendo 104 mil de primeiras doses e quase 4 mil da segunda. Segundo a secretaria de saúde do município, o estoque restante é de 38 mil doses.

Vacinação polêmica

A vacinação no Amazonas começou cercada de polêmicas. Isso porque, inúmeras denúncias de fura-filas foram registradas desde o início do processo de imunização no estado. Em Manaus, a vacinação dos secretários de saúde, limpeza pública e assistência social, e de médicos recém-nomeados causou indignação nas redes sociais. Veja a cronologia da imunização na capital:

  • 21 de janeiro – a campanha foi suspensa na capital em meio à investigação do Ministério Público sobre irregularidade na aplicação das doses. Foram feitas denúncias de que médicas parentes de empresários locais estavam furando fila, após postarem fotos em redes sociais.
  • 22 de janeiro – A Secretaria de Saúde do governo do Amazonas entregou lista de profissionais da saúde que seriam vacinados contra Covid em Manaus
  • 23 de janeiro – a vacinação é retomada, com a imunização dos profissionais da saúde. No mesmo dia, à noite, Justiça Federal determinou que a prefeitura de Manaus informasse, todos os dias, a relação das pessoas vacinadas contra a Covid na cidade sob pena de multa.
  • 25 de janeiro – o Ministério Público Estadual do Amazonas pediu a prisão do prefeito de Manaus, David Almeida, e da secretária municipal de Saúde, Shadia Fraxe, na ação que denuncia irregularidades na aplicação da vacina e no favorecimento de pessoas que teriam furado a fila do grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19. De acordo com o MPE, houve fraude na fila de prioridades durante a campanha de vacinação e contratação irregular de dez médicos.
  • 28 de janeiro – o prefeito David Almeida negou irregularidades e chamou de ‘heróis’ os médicos que tiveram contratação questionada pelo Ministério Público.
  • 29 de janeiro – a secretária da Saúde, Shadia Fraxe, disse que faltavam “recursos humanos”.
  • Apesar da investigação, as vacinas de profissionais da saúde e de idosos estão sendo aplicadas em pontos diferentes da capital.

Pazuello em Manaus

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, voltou a Manaus nesta sexta (12). Essa é a terceira vez que Pazuello cumpre agenda na capital amazonense no intervalo de um mês.

O ministro é alvo de inquérito da Polícia Federal que investiga se houve omissão dele em relação ao colapso no Amazonas.

Ele esteve em Manaus no dia 13 de janeiro e voltou a Brasília, um dia antes da capital vivenciar cenas de caos por falta de oxigênio nos hospitais. Ele voltou no dia 23, após pedido de investigação sobre sua conduta diante da crise.

Postagens relacionadas

Sindicato denuncia que secretária de Educação do AM se nega a negociar reajuste de salários dos professores

Danilo Andrade

Vacinação de idosos de 63 e 64 anos começa, hoje (10)

Danilo Andrade

Contra decreto, feirantes fecham Bola do Produtor em protesto, em Manaus

Danilo Andrade
error: Content is protected !!