Amazonas Dia a dia

Diretora de hospital do AM é exonerada por incluir nome de motorista na lista da vacinação

Após a polêmica envolvendo pessoas que teriam sido vacinadas indevidamente e constam na lista prioritária de imunização em Manaus, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) exonerou servidores. Com determinação do secretário Marcellus Campêlo, foi exonerada, nesta segunda-feira (25), a diretora do Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Leste, Michele Adriane Pimentel Afonso.

A exoneração aconteceu depois que uma investigação da SES-AM apontou que a diretora incluiu indevidamente à lista prioritária, o nome do servidor da Casa Civil, Geberson Oliveira Lima, que não faz parte do grupo prioritário. O servidor foi exonerado por determinação do governador do Amazonas Wilson Lima.

“Acabei de exonerar a direção do Hospital e Pronto Socorro Joãozinho, que vacinou pessoa não autorizada. Não admitimos isto em nossa rede de saúde. Que todos os demais diretores estejam cientes”, declarou o secretário de Saúde, Marcellus Campêlo.

Na lista divulgada na noite desse domingo (24), o nome dele aparece como “trabalhador de saúde”, na Clínica da Família Senador Severiano Nunes, na função classificada como “outros”.

Outros nomes que levantaram suspeita após a divulgação da lista de vacinação foi do motorista do governador e de empresários contratados pelo Estado, que estão fora da lista prioritária determinada pelo Ministério da Saúde.

A Prefeitura de Manaus já havia informado à Justiça Federal que apenas executa a vacinação e que a lista para a imunização dos servidores estaduais lotados nas unidades de saúde é de competência do governo do Estado.

 

 

Postagens relacionadas

Arthur Neto está bem e teria alta nos próximos dias, segundo nota

Danilo Andrade

Alça de retorno dos Bilhares deve ser interditada, devido a cheia

Danilo Andrade

Amazonas volta à fase amarela após aumento no número de casos e internações de pacientes com Covid-19

Danilo Andrade
error: Content is protected !!