Política

CPI da Saúde quer auditoria do TCE no programa ‘Anjos da Saúde’

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde vai solicitar auditoria no Programa “Anjos da Saúde”, do Governo do Amazonas, pelo Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM). O objetivo é averiguar a contratação “suspeita” de pessoal para a execução do programa, que teve repasse de mais de R$ 5 milhões por parte da Secretaria de Estado da Saúde (Susam).

A ação ocorre após o depoimento, nesta quarta-feira, 15, do presidente da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Ambiental (AADESAM), Bráulio da Silva Lima, considerado “contraditório” pelos deputados membros da investigação. Para os deputados, a execução do programa da Susam, por meio da AADESAM, é considerada suspeita.

No depoimento, o nome da jornalista Carla Pollake da Silva foi novamente mencionado. Bráulio Lima negou a participação da jornalista, amiga próxima do governador Wilson Lima, na execução do programa. Mas fotos de reuniões internas em que a jornalista aparece com os servidores, , exibidas durante a audiência, complicaram a informação apresentada por Lima.

Contradições

“Há muita contradição por parte do depoente. Temos cada vez mais certeza que Carla Pollake não só elaborou mas participou do projeto Anjos da Saúde. Ela participou de reuniões da Aadesam para tratar sobre o projeto. Está cada dez mais claro que há uma participação efetiva”, afirmou o presidente da Comissão, o deputado Delegado Péricles (PSL), após a audiência.

A jornalista e consultora de imagem, amiga pessoal de Wilson Lima, prestou depoimento no dia 6 de junho à CPI. Na ocasião, ela negou ter participado do programa e afirma ter apenas orientado o governador no que diz respeito à imagem pessoal do ex-apresentador quanto ao programa. Ela também negou ter recebido pagamentos para prestar serviços ao governo. Mas imagens do marido da jornalista concedendo entrevista sobre o programa também levantaram suspeita sobre a afirmação.

Auditoria

Os deputados da CPI vão pedir que o TCE faça uma análise do pessoal contratado para a gestão e execução do programa “Anjos da Saúde”. Para o deputado Wilker Barreto (Podemos), a Susam tem recursos próprios e verbas federais para este tipo de execução de programa, o que torna injustificável a contratação, pela Aadesam, de celetistas com esta finalidade.

“Tem departamentos dentro da Susam para isso, tem recursos federais para isso. Não há necessidade da execução de um serviço desta forma. Tem tapete, tem café, tem leite. São quase seis milhões num projeto”, declarou o parlamentar, afirmando que a Aadesam ficou em cheque após o depoimento do presidente.

Postagens relacionadas

Nesta quinta, deputados votam reajuste de 3,92% para servidores da Assembleia

Danilo Andrade

‘Foi dentro do esperado’, diz assessoria do vice sobre evento, em que repórteres saíram feridos

Danilo Andrade

David Almeida pede para depor na CPI da Saúde, mas presidente da Comissão indefere

Danilo Andrade
error: Content is protected !!