Política

Comissão tem até 3 de agosto para votar se o impeachment segue ou é arquivado

Nesta quinta-feira, 23, a Comissão Especial do Impeachment recebeu a defesa prévia do governador Wilson Lima (PSC) e, ontem, 22, do vice-governador, Carlos Almeida (PTB). A partir de agora, os titulares da comissão têm até o dia 3 de agosto para deliberar se a denúncia do impeachment deve prosseguir na Casa Legislativa ou ser arquivado.

Quem paga?

O deputado de oposição Wilker Barreto (Podemos) protagonizou o único momento ‘tenso’ da reunião. Isso porque ele reivindica saber quem está pagando pelos advogados de defesa. “Se o governador e o vice estão usando de estruturas do estado, de suporte financeiro, para custear suas defesas. Estou vendo aqui que o vice governador contratou um escritório de Brasília, que é o vice-presidente da OAB Nacional, tá? Tenho certeza que esse escritório não é discípulo da Carla Pollake, ou seja, não faz de graça”, disse o parlamentar.

A presidente da Comissão, deputada Alessandra Campêlo (MDB), informou que o requerimento de Wilker Barreto não pode ser apreciado pela Comissão do Impeachment, mas sim pela Mesa Diretora da Assembleia. “Foge ao objeto da Comissão”, respondeu Campêlo, segundo ela, orientada pela procuradoria da Casa Legislativa, que acompanha a reunião.

Defesa de luxo

Se o vice escolheu deixar a defesa dele na mão do vice-presidente da OAB, Luiz Viana, o governador seguiu o exemplo e foi buscar fora do Amazonas o profissional para livrá-lo do impeachment e escolheu outro nome de peso, Marcus Vinicius Furtado Coelho, ex-presidente nacional da OAB.

Postagens relacionadas

David Almeida e Ricardo Nicolau trocam acusações em debate

Danilo Andrade

Proposta da Apple pode quebrar ZFM, alerta deputado Marcelo Ramos

Danilo Andrade

Amazonino quer lançar projetos de incentivo ao esporte e ao empreendedorismo para jovens

O Amazonês
error: Content is protected !!