Economia

Após queda em janeiro, setor de serviços cresce 1,7% em fevereiro, no Amazonas

O setor de serviços avançou (1,7%) em fevereiro, frente a janeiro de 2021, quando sofreu queda de 3,0%. Mesmo com oscilações ao longo de 2020, e também em 2021, os serviços no Amazonas apresentam taxa positiva (0,6%) no acumulado dos últimos 12 meses, no acumulado do ano (6,0%) e principalmente na variação mensal (10,7%), que compara a taxa do mês com o mesmo mês do ano anterior. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada hoje (15), pelo IBGE.

Em fevereiro, a Receita nominal de serviços também apresenta variação positiva (6,0%), frente a janeiro de 2021, na série com ajuste sazonal. Em fevereiro de 2021, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, a Receita nominal de serviços no Amazonas aumentou 10,6%. No acumulado do ano também mostra resultado positivo (3,8%), enquanto no acumulado dos últimos doze meses, o indicador apresenta variação negativa, de -0,6%.

Volume de serviços – variações
Em fevereiro de 2021, o volume do setor de serviços no Amazonas foi de 1,7%, frente a janeiro, na série com ajuste sazonal. Em fevereiro de 2021, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o setor de serviços no Estado chegou a 10,7% de avanço. No acumulado do ano (janeiro e fevereiro), a taxa foi de 6,0%, em relação ao mesmo período do ano anterior. E no acumulado dos últimos doze meses, o índice também foi positivo (0,6%).

Os números do setor de Serviços no Brasil também mostram que houve variação positiva de janeiro para fevereiro, e a variação foi superior à registrada no Amazonas (3,7%). Em janeiro, o setor havia mantido estabilidade (0,1%) no país, enquanto havia tido queda (-3,0) no Amazonas.

Variação mês/mês anterior
A variação percentual que compara o volume de serviços do mês atual com o mês anterior, de 1,7%, obtida em fevereiro, posicionou o setor de serviços do Amazonas numa posição intermediária (12ª) entre as unidades da federação. Os piores desempenhos foram observados no Amapá, com -8,3%, Acre, com -5,8%, e Distrito Federal, com -5,1%. E os melhores desempenhos, no Mato Grosso, com 14,8%, Tocantins, com 11,5%, e Rondônia, com 9,1%.

Volume de serviços – variação acumulada no ano
A variação percentual acumulada no ano (janeiro e fevereiro), que compara o volume de serviços do período atual com o mesmo período do ano anterior, de 6,0%, inseriu o setor de serviços do Amazonas na segunda posição entre as unidades da federação. Os piores desempenhos foram os do Rio Grande do Norte, com -13,0%, Bahia, com -13,0%, e Pernambuco, com -10,6%. E os melhores desempenhos, os de Santa Catarina, com 7,5%, Amazonas, com 6,0% e Minas Gerais, com 4,0%.

Receita nominal de serviços – variações
Em fevereiro de 2021, a receita nominal aumentou 6,0%, frente a janeiro, na série com ajuste sazonal. Já na comparação com o fevereiro do ano anterior, o setor de serviços no Amazonas aumentou 10,6%. No acumulado do ano, o setor cresceu 3,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. E no acumulado dos últimos doze meses, o indicador diminuiu (-0,6%).

Receita nominal de serviços – variação mês/mês anterior
A variação percentual que compara a receita nominal dos serviços do mês atual com a receita do mês anterior, de 6,0%, obtida em fevereiro, posicionou o setor de serviços do Amazonas na 4ª posição entre as unidades da federação. Os piores desempenhos foram os do Amapá, com -6,8%, Distrito Federal, com -4,4% e Acre, com -4,2%. E os melhores desempenhos, os do Mato Grosso, com 34,2%, Rondônia, com 19,4%, e Tocantins, com 6,6%.

Receita nominal – variação acumulada no ano
A variação percentual acumulada no ano, que compara a receita nominal de serviços do período atual (janeiro e fevereiro) com o mesmo período do ano anterior, de 3,8%, colocou o setor de serviços do Amazonas na terceira posição entre as outras unidades da federação. Os piores desempenhos foram os do Bahia, com -14,4%, Rio Grande do Norte, com -11,3%, e Alagoas, com -11,0%. E os melhores desempenhos, os de Santa Catarina, com 7,7%, Minas Gerais, com 4,9%, e Amazonas, com 3,8%.

Fonte: IBGE

Postagens relacionadas

Yamaha suspende produção de motocicletas em Manaus

Danilo Andrade

Caged: Brasil cria 136 mil empregos com carteira assinada em março

Danilo Andrade

Bolsonaro assina MP que moderniza e diminui burocracia para fazer negócios no Brasil

Danilo Andrade
error: Content is protected !!