Política

Após 60 dias da crise do oxigênio, governador do AM não comprou nenhuma usina

Quase dois meses após a crise do oxigênio no Amazonas que matou dezenas de pessoas que estavam internadas em unidades de saúde em tratamento após infecção por Covid-19 e o Governo do Estado ainda não conseguiu comprar e instalar nenhuma usina. Das 31 usinas de oxigênio que o Estado possui atualmente, todas foram doadas. Inacreditável! Se fôssemos aguardar que o gestor do Amazonas tomasse uma atitude para resolver o problema do oxigênio, estávamos todos mortos. Nesta sexta-feira (12) será promovido mais um Pregão Eletrônico, desta vez para aquisição de nove usinas de oxigênio para o interior do Estado e o restante dos municípios governador vão esperar quantos meses?

Crise do oxigênio
Nos dias 14 e 15 de janeiro deste ano, principalmente a capital amazonense, viveu um colapso no sistema de saúde em decorrência da falta de oxigênio medicinal, essencial para tratar casos graves de Covid-19. Foi uma tragédia para a capital que já vivia um aumento progressivo no número de casos desde dezembro que lotou os hospitais de referência. A cidade viveu dias difíceis, o medo ficou instalado, longas filas para comprar o gás medicinal e o eterno luto marcou o mês de janeiro. A falta do oxigênio que causou dezenas de mortes abriu diversas investigações que apuram os culpados do descaso e a falta do produto essencial.

Irresponsabilidade
Em 23 de fevereiro, esta coluna denunciou que o governo de Wilson Lima não havia conseguido comprar nenhuma usina de oxigênio e quase um mês depois, ainda não conseguiu. O Amazonas possui 31 usinas de oxigênio em funcionamento, mas nenhuma delas, segundo denunciado inclusive em plenário da Assembleia Legislativa do Estado (ALE) pelo deputado estadual delegado Péricles, foram adquiridas pelo atual governo, vieram do Ministério da Saúde, de grupos voluntários, empresas, particulares, entre outros.

Licitações
Uma das características do atual governo é o gosto por promover licitações. Segundo o Edital de Pregão Eletrônico (PE) nº 118/2021 do governo do Amazonas por meio do Centro de Serviços Compartilhados (CSC), abre concorrência nesta sexta-feira, 12, às 9h para aquisição pelo menor valor global de usinas de oxigênio hospitalar, sistema de geração de oxigênio medicinal e ar comprimido, “a fim de atender as necessidades de nove municípios do interior do Amazonas”, consta.

Interior do Amazonas
Segundo informações do Termo de Referência do PE nº 118/2021 as nove usinas de oxigênio visam atender os municípios de Boca do Acre, Benjamin Constant, Itapiranga, Guajará, Careiro Castanho, Fonte Boa, Nhamundá, Novo Aripuanã e Borba. E o restante dos municípios do interior do Amazonas? Vão ficar sem usinas de oxigênio?

Vacinas contra Covid-19
Outra questão que está sendo bem difícil de ser resolvida pelo Governo de Wilson Lima é a compra das vacinas contra Covid-19. Nem com decisão da Justiça Federal do Amazonas, o Governo do Estado utilizou o recurso de R$ 150 milhões do Fundo do Turismo e comprou as vacinas. Como resolver tantos problemas se não tem gestão?

*Por D24am

Postagens relacionadas

PL de Wilker que garante reembolso ao consumidor que pagar faturas de energia elétrica em duplicidade é aprovada pela CCJR da Aleam

Danilo Andrade

Vereador de Barreirinha cobra da Prefeitura pagamento do Fundeb aos professores do município

Danilo Andrade

Deputada diz que Wilson Lima teve 10 meses e não preparou o Amazonas

Danilo Andrade
error: Content is protected !!