Política

‘Será que é porque segunda volta o STJ?’, cogita deputado sobre pressa da Comissão do Impeachment

Para o deputado Wilker Barreto (Podemos), os deputados da base governista temem os desdobramentos da Operação Sangria, em agosto, quando o Superior Tribunal de Justiça (STJ) retorna as atividades e o ministro Francisco Falcão pode dar permissão para a Polícia Federal realizar novas prisões e apreensões. Essa pode ser a motivação para os deputados da base estarem ‘correndo’ com o arquivamento do impeachment, pondera o parlamentar do Podemos.

“Doutor Gomes, médico, em menos de 48 horas se torna o maior jurista do Amazonas. Foi o mesmo Doutor Gomes que segunda-feira, 27, reclamou que não tinha tempo suficiente para fechar o relatório. O que mais me estranha é o porquê da pressa para votar amanhã. Será que porque segunda-feira volta a funcionar o STJ e volta o relator ao apreciar a Operação Sangria? Será que é medo de uma outra operação? Será que é medo da opinião pública pressionar e cobrar esta casa?”, reflete Wilker Barreto em um vídeo de protesto (confira no final do vídeo).

Alessandra Campêlo diz que essa é uma acusação grave

Sobre o temor de novas operações da PF, a presidente da Comissão do Impeachment, deputada governista Alessandra Campêlo (MDB), diz que essa é uma acusação grave e que ela está apenas cumprindo os prazos da lei federal que embasa o processo na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam).

“Encerra domingo, 02, o prazo para enviar pra publicação [no Diário Oficial Eletrônico da Aleam]. Portanto, deve ser enviado até segunda-feira, 03, (próximo dia útil). Então, esse prazo não foi estabelecido por um deputado ou deputada. É o prazo estabelecido na legislação federal usada como base para o impeachment. O resto é invenção e pirotecnia pré-eleitoral!”, rebateu a parlamentar.

Segundo a própria deputada, a Procuradoria da Casa Legislativa, “se fosse necessário”, o prazo para votação poderia ser estendido se assim os membros da Comissão entendessem. Entretanto, para Campêlo, os deputados têm as denúncias há meses e as defesas desde a semana passada, como o relatório é uma “sistematização de tudo isso”, houve tempo hábil, considera a presidente da Comissão do Impeachment.

Desdobramentos da Operação Sangria, o momento chega em agosto?

No último sábado, 25, o site UOL divulgou trechos do depoimento da ex-gerente de compras da Secretaria de Saúde do Estado do Amazonas (Susam), Alcineide Figueiredo, que você conferiu na íntegra aqui no OAmazonês, e atingiu em cheio a força política do governador Wilson Lima. Isso porque, segundo a delação premiada, o agente que intermediou a fraude na compra dos ventiladores pulmonares era um contato do chefe do Poder Executivo do Amazonas.

Vale lembrar que a Procuradoria Geral da República (PGR) solicitou do STJ a prisão do governador, mas ela não foi aceita. “Ao menos neste momento”, disse o ministro Francisco Falcão na decisão do último dia 29 de junho. E, conforme a coluna Radar, da revista Veja, é em agosto, no fim das ‘férias’ do Superior Tribunal de Justiça será também o fim do “sossego” dos governadores do Amazonas e do Pará.

Sobre o autor

@blinkjornalista jornalista formada na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), que ama falar de política e perguntar das autoridades aquilo que o público precisa saber. Sócia do OAmazonês e repórter da Rádio Mix
Publicações relacionadas
Política

Deputados arquivam primeira denúncia de impeachment aceita na Assembleia

Política

Para votar o impeachment na quinta-feira, a Ordem do Dia vai ter que ficar para a tarde na Aleam

Política

Susam pagou quase 1000% a mais do que a Norte Serviços Médicos gastou por atendimentos

Política

Em depoimento, ex-secretário do interior da Susam não justifica preços de serviços de 2017

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba as novidades diretamente em seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *