Poder às claras

‘Compra de respiradores em loja de vinhos não é o caso mais grave da CPI’

O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB), que faz parte da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) que investiga os gastos no setor de saúde do Governo do Estado durante a pandemia do novo Coronavírus, afirmou que a compra dos respiradores em uma loja de vinhos não é a situação mais grave identificada até agora pela comissão.

Em entrevista exclusiva concedida na noite desta terça-feira, 23, em live no Instagram do portal O Amazonês, o parlamentar afirmou que, em sua avaliação, outra prática, “feita há décadas”, representa um problema maior. Para ele, o chamado “pagamento por indenização” custa caro aos cofres públicos.

Serafim explicou que este tipo de operação costuma ser feita sem contratos, sem meios de controle das ações ou de frequência, o que torna esta modalidade de contratação de empresas, por parte do Governo do Estado, “muito vulnerável”. “Isso acontece há décadas e o Ministério Público (do Amazonas) nunca viu nada de errado. Daí o Estado gasta 4 bilhões, 5 bilhões por ano, mas a saúde permanece nas condições em que está”, afirmou.

O deputado acredita que a paralisação da CPI, por medida judicial recém-suspensa pelo desembargador Ari Moutinho, não comprometeu os trabalhos. Para ele, a paralisação atrapalhou, foi pior para o governador do Amazonas, Wilson Lima, pois dá a entender à população que existe algo que precisa se escondido. “O que importa à população é a percepção. E há uma percepção de que alguém tenta esconder algo, que não quer que se descubra algo”, disse.

O deputado, que negou ser candidato à Prefeitura de Manaus, elogiou a decisão do desembargador em anular os efeitos da suspensão judicial dos trabalhos da CPI. “A decisão do desembargador Ari Moutinho é correta e segue a jurisprudência do TJAM e do STF, que diz que esse assunto é do Poder Legislativo e não cabe a outro poder, mesmo o Judiciário”, argumentou.

O deputado garante que uma reunião, marcada para esta quarta-feira, 24, deve retomar os trabalhos da CPI. “Queria encerrar a questão dos respiradores e entrar nos pagamentos por indenização, erro antigo, e que continua acontecendo”, afirmou Serafim. “Há muitas perguntas sem resposta e queremos que essas respostas sejam dadas não a nós, deputados, mas à população”.

O deputado garante que a CPI vai investigar tudo o que é necessário e que, ao final, o relatório será encaminhado à Procuradoria-Geral da República, onde já há inquérito aberto. “Achamos a ponta do iceberg e devemos seguir, recomendar ajustes ao governo para que se façam procedimentos. Quando você sai do governo, você perde poder de fogo. Não vai segurar ninguém e tudo vai sobrar para o governador”, afirmou o deputado, referindo-se à ideia de que o governador Wilson Lima deveria ser o primeiro a ajudar a esclarecer eventuais irregularidades.

Publicações relacionadas
Poder às claras

Governo Wilson Lima paga R$1 milhão para empresa suspeita de superfaturar exames médicos

Poder às claras

Familiar do deputado Roberto Cidade ganha cargo de confiança na Seas

Poder às claras

Irmã do deputado Belarmino Lins ganha cargo de confiança na Jucea

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba as novidades diretamente em seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *